+55 (47) 3036.7700

contato@teclogica.com

Indústria brasileira: importância dos investimentos para o futuro

Teclógica > Blog > Serviços sob medida > Manufatura > Indústria brasileira: importância dos investimentos para o futuro
indústria brasileira
03/09/2021

Mais do que acompanhar a profunda e constante transformação digital, investir na indústria brasileira é um caminho para garantir um futuro mais sustentável, reconhecendo a importância do Brasil no cenário mundial.

O país possui atualmente, segundo a CNI, 2,1% de participação na produção industrial ao redor do mundo. Além disso, a indústria é responsável por 20,4% do PIB do Brasil

Esse é também um setor que gera milhares de empregos e que representa 69,2% nas exportações de bens e serviços.

Nesse sentido, é de extrema importância reconhecer os avanços dos investimentos na indústria brasileira, principalmente em tecnologia, que tem auxiliado na busca por um futuro ainda mais conectado para todos.

Tipos de indústria no Brasil

A Revolução Industrial, como em todos os países, teve um grande impacto no Brasil, fazendo com que a maior parte do consumo de bens e serviços na atualidade tivessem origem em parques fabris.

Dessa forma, é preciso reconhecer a importância da indústria e compreender a diversidade que existe neste segmento, que é representada por:

1. Indústria de bens de produção

Esse tipo de indústria representa ass empresas que se dedicam na produção de recursos e matérias-primas que são utilizadas por terceiros, ou seja, que são transformadas em um produto para o consumidor final. Exemplos: mineradoras, madeireiras, petrolíferas, metalúrgicas.

2. Bens de capital

Já este inclui as indústrias que auxiliam outras fábricas a desempenharem o seu papel, à medida que fornecem recursos, máquinas e equipamentos.

Existe uma grande complexidade produtiva nesse cenário, já que a maioria das indústrias precisa desses instrumentos para viabilizar os seus processos produtivos, serviços e outras atividades que necessitam de algum apoio.

Também chamada de indústria de bens intermediários, nesse segmento pode-se citar como exemplos: produtos minerais e metalúrgicos, têxteis, papel e celulose, produtos químicos, borracha, plásticos, componentes elétricos e eletrônicos, etc.

3. Bens de consumo

Na indústria brasileira também existem as indústrias de bens de consumo, que representam aquelas que transformam as matérias-primas em um produto final e oferecem ao consumidor.

Ou seja, são as responsáveis pela produção de alimentos, tecnologias, roupas, remédios, bebidas e outras categorias de produtos que oferecem inúmeras possibilidades ao consumidor final na busca por solucionar algum problema ou necessidade.

Outros tipos

Existem ainda na indústria brasileira outras modalidades que vão de acordo com o setor de atividade ou produção. Entre elas estão alguns exemplos:

  • Extrativismo;
  • Produção de energia;
  • Construção civil;
  • Indústria informacional.

Avanços na indústria brasileira

Segundo dados do Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (IEDI), a indústria brasileira melhorou de posição no ranking de produção industrial que abrange 45 países, entre eles a China e a Itália.

Esse avanço representou 5,2% no primeiro trimestre de 2021 em comparação ao mesmo período do ano anterior. Com isso, o Brasil ocupa hoje a 13ª posição, à frente de países como os Estados Unidos, o Japão e a França.

Nesse período do ano anterior, por exemplo, a produção da indústria brasileira havia caído 2,5%, deixando o país no 24º lugar, que em 2019 estava ainda mais para baixo, na posição de 38º. Ou seja, 2021 representa uma melhora bastante significativa.

Impactos da pandemia

Desde o início da pandemia, o Brasil e outros países foram impactados com medidas de restrição à mobilidade e às atividades, que ainda seguem em alguns países. Em 2019, o Brasil já vinha enfrentando uma desaceleração do comércio mundial, além das crises nos países vizinhos.

Além disso, no início de 2021 o país perdeu o patamar que havia superado no fim de 2020, o que trouxe redução do dinamismo e alguns pontos de atenção, já que ações como o auxílio emergencial e a vacinação ainda não estão bem equacionadas.

Contudo, existem algumas medidas a serem tomadas mesmo no cenário de pandemia e posteriormente, seja para acompanhar as transformações tecnológicas da indústria ou mesmo melhorar a capacidade produtiva.

Como o investimento em tecnologia pode impulsionar a indústria

Nesse sentido, o investimento em tecnologia é um dos principais pontos a serem entendidos e, principalmente, superados, já que muitas empresas ainda veem o cenário representado por novos gastos.

O primeiro ponto, é que o maquinário brasileiro é bem antigo se comparado às maiores potências mundiais. Esses equipamentos datam em média 17 anos, o que pode representar algumas desvantagens.

O mercado atual exige adaptações e novas abordagens para questões que vão desde o simples ao mais complexo. Sendo assim, é preciso compreender esse cenário moderno, que requer uma tomada de decisões mais assertiva e rápida.

As necessidades aumentaram, assim como o número de empresas que oferecem soluções disruptivas. Com isso, o mercado competitivo se torna mais agressivo, principalmente, para os negócios desatualizados.

Tecnologias e Indústria 4.0

Para continuar avançando, é preciso investir em tecnologias e na indústria 4.0, pois esse tipo de investimento já tem se mostrado bastante efetivo na lucratividade das empresas, mesmo no cenário instável da pandemia.

Por isso, a indústria brasileira precisa olhar para sistemas mais conectados na sua operação, tecnologias de inteligência artificial e big data.

A tecnologia se mostra mais do que um investimento certeiro, mas uma necessidade urgente para quem deseja continuar no mercado competitivo, que atualmente tem se transformado cada vez mais rápido.

Com isso, existe um cenário ainda mais amplo que na Primeira Revolução Industrial, pois hoje os dados representam um dos ativos mais importantes dos negócios na atualidade.

Quer entender melhor esse contexto? Clique aqui e acesse o nosso e-book sobre a 4ª Revolução Industrial, que tem trazido novas oportunidades para a indústria brasileira.