+55 (47) 3036.7700

contato@teclogica.com

Indústria 4.0: a sua empresa está realmente preparada?

Teclógica > Blog > Serviços sob medida > Manufatura > Indústria 4.0: a sua empresa está realmente preparada?
Indústria 4.0: a sua empresa está realmente preparada?
24/06/2021

O advento da Indústria 4.0 está associado ao avanço de tecnologias como Internet das Coisas (IoT), Inteligência Artificial, Impressão em 3D, Cloud Computing, Big Data, Analytics, Blockchain, estruturas avançadas de rede e conexão de dados.

Esse cenário consiste no modo em como vivemos e transformamos a atividade econômica nos dias atuais. Apesar de ser uma questão tecnológica, a Indústria 4.0 possibilita oferecer modelos de negócios inovadores e experiências diferenciadas em detrimento dos antigos padrões de consumo.

O conceito engloba, ainda, processos de produção mais eficientes e independentes, em ambientes onde a alta competitividade obrigará as empresas a se tornarem mais dinâmicas e agressivas.

Mas diante dessa revolução, sua empresa está preparada? O objetivo deste texto é salientar a importância da estrutura de TI da sua empresa se reinventar e acompanhar a evolução da Quarta Revolução Industrial. Confira!

O que é a Indústria 4.0?

Antes de mais nada, você pode estar se perguntando o que é exatamente a Indústria 4.0. Em termos gerais, estamos falando de um conceito de automação industrial realizada por meio da integração de tecnologias diversas, algumas das quais destacamos no início.

A indústria 4.0 faz parte do contexto de transformação digital, pois promove a digitalização das atividades da indústria, otimizando os processos e aumentando a produtividade.

Isso acontece porque é um amplo conjunto de tecnologias inovadores capazes de criar uma rede inteligente que pode conectar todas as pontas da cadeia produtiva. Com isso, existe a integração de pessoas, máquinas e sistemas, que se comunicam entre si e garantem agilidade aos processos industriais, redução de custos e, ainda, diminuição das falhas.

Os princípios da Indústria 4.0

Dentro desse conceito amplo que conta com diversas abordagens tecnológicas diferentes, existe como base uma série de princípios, como:

Operações ágeis e em tempo real

Com a aquisição e o tratamento de dados de forma instantânea, por meio de softwares que permitirão maior agilidade na tomada de decisão.

Grande volume de informação

Possibilitado pelo Big Data, que consiste na captura, na análise e no gerenciamento de dados armazenados em nuvem ou memória. Tudo isso por meio de modelos de conexão, sensores e compartilhamento das informações.

Maior controle e monitoramento

O gerenciamento é beneficiado pelas simulações. Da mesma forma, a rastreabilidade e o monitoramento remoto de todos os processos são feitos por meio de sensores, como a tecnologia RFID.

Automação total dos processos

É o princípio em que as máquinas receberão comandos remotos e trabalharão de forma descentralizada, a fim de garantir eficiência máxima do processo produtivo.

Flexibilidade

Permite produção de acordo com a demanda e melhor desempenho das máquinas, que podem ser reprogramadas facilmente.

Principais tecnologias envolvidas

Para garantir esses princípios, a indústria 4.0 é baseada em diversas tecnologias com diferentes objetivos cada.

Entre elas, destacamos as mais utilizadas e que já estão em funcionamento em muitas organizações. Esse conjunto de inovação é chamado de tecnologias habilitadoras para a indústria 4.0. Confira as principais:

Big Data e Analytics

No contexto de transformação digital, duas tecnologias da indústria 4.0 essenciais são o Big Data e o Analytics.

Isso porque o cenário apresenta um grande volume de dados, impossíveis de serem analisados e interpretados por pessoas a um bom nível de escalabilidade. Por isso, essas duas tecnologias proporcionam um aprendizado sobre os processos e, também, ajudam a compreender o comportamento dos consumidores.

Podem ser implementadas diretamente ou por fornecedores especializados, que podem trazer inúmeros insights ou mesmo oportunidades novas de negócio.

Inteligência Artificial (IA)

Esta é uma tecnologia bem abrangente e que está presente em diversos equipamentos, desde utensílios domésticos até veículos inteligentes.

Um ótimo exemplo disso são os robôs autônomos, que geralmente também acompanham outras tecnologias da indústria 4.0. Esses robôs são conectados à rede de forma contínua e conseguem aprender de forma automatizada, gerando muitos detalhes que alimentam o banco de dados da organização.

Esses dados, por sua vez, são analisados por tecnologias como o Big Data e auxiliam na tomada de decisões estratégicas dos processos de produção.

Internet das Coisas (IOT)

Na indústria 4.0, esse conceito foi ampliado para o termo Internet Industrial das Coisas, capaz de integrar a estrutura de máquinas de toda uma indústria

Os equipamentos contam com sensores inteligentes e independentes que monitoram a produção, a vida útil dos equipamentos e também geram dados. Com a tecnologia é possível, por exemplo, validar modelos de simulação e ainda aumentar a eficiência operacional e a capacidade produtiva.

Na indústria 4.0, a IOT pode também prevenir diversos problemas decorrentes de falhas nos equipamentos por meio de análises prévias e manutenções preventivas.

Cloud Computing

A tecnologia de Cloud Computing, ou Computação em Nuvem, faz parte desse conjunto como uma das ferramentas mais vantajosas.

Isso porque com o avanço das inovações, a indústria 4.0 é hoje baseada em rede, o que extingue a necessidade de servidores locais. Com isso, há uma economia nos custos com equipamentos e manutenção, além de mitigar inconsistências de informações e proteger esses dados contra invasões ou mesmo perdas.

Além disso, o acesso às informações se dá de forma muito mais rápida e integrada, possibilitando os acessos de qualquer lugar com acesso à internet e as devidas permissões.

Impressões em 3D

Também conhecidas por Manufatura Aditiva, é possível produzir peças camada por camada a partir de modelos digitais.

Essa tecnologia permite construir objetos de geometria complexa sem remover materiais de uma matéria prima inicial, como nos processos de usinagem. Além disso, existem diferentes técnicas que utilizam uma diversidade de materiais, dentre elas a Modelagem de Deposição Fundida e a Estereolitografia.

Na modelagem, são utilizados filamentos de polímeros; já a estereolitografia solidifica resinas líquidas utilizando luz ultravioleta. Dessa forma, podem ser fabricados protótipos que atendem a projetos simples ou até mesmo a produção em massa.

Blockchain

O último exemplo dentro das principais tecnologias da indústria 4.0 é o Blockchain, baseado em um protocolo de comunicação ponto a ponto (P2P).

Um exemplo bem conhecido são as criptomoedas, mas o blockchain é bem amplo porque conecta sistemas, pessoas e processos de forma autônoma e segura.

Por meio dele é possível enviar um bloco de informações para um destino específico ao mesmo tempo em que é espalhado por diferentes pontos.

Esse fluxo dificulta ainda mais a invasão de um hacker por meio da criptografia. Por isso, é muito utilizada em sistemas financeiros e em assinaturas online de contratos.

Na indústria 4.0, porém, o blockchain permite o rastreamento em tempo real do processo de produção de um produto de forma segura.

A adaptação das empresas à Indústria 4.0.

Diante das diversas aplicações possíveis na indústria 4.0 e do cenário de transformação digital, adaptar as empresas requer investimento em infraestrutura e em pessoas.

Em uma pesquisa divulgada pela FIESP, estima-se que a escassez mundial de mão de obra qualificada chegará em mais de 200 milhões de trabalhadores nos próximos 20 anos.

Tarefas repetitivas serão substituídas pelas estratégicas, e a expectativa é que sejam criados 960 mil postos de trabalho nas áreas de TI e de desenvolvimento de softwares.

Neste contexto, é preciso promover a integração de processos por meio de uma rede de sistemas de produção flexíveis às variações de demanda, reconfiguráveis em tempo real e adaptáveis à disponibilidade de recursos.

Essa modularidade deve permitir que a empresa seja capaz de aumentar sua produtividade por meio dos seguintes elementos:

  • Processos enxutos, ou lean manufacturing;
  • Green BPM (Business Process Management) ou uso eficiente de recursos;
  • Máquinas mais eficazes;
  • Mão de obra qualificada;

Tudo isso possibilita lidar com as customizações exigidas por clientes cada vez mais exigentes e mercados altamente competitivos.

Porque a indústria 4.0 é importante?

Em vista das mudanças nos processos de produção e no comportamento dos consumidores, a indústria 4.0 é essencial para se manter no mercado competitivo.

Inúmeros são os desafios impostos pela constante transformação digital, mas as organizações que já estão investindo nessas tecnologias já apontam diversos benefícios.

Esses negócios têm percebido ganhos não apenas nos lucros com as vendas, mas também na diminuição de resíduos e nos custos de produção.

Pautas como a sustentabilidade, por exemplo, têm sido cada vez mais importantes para a sobrevivência das empresas, que precisam também encontrar fontes de energia alternativas.

Por serem pontos complexos, a importância da indústria 4.0 se dá justamente na preparação do caminho para não ser pego desprevenido.

Como a indústria 4.0 vai impactar o mundo?

No mundo todo, a indústria 4.0 já vem impactando as organizações, e a previsão é que esse ritmo seja acelerado nos próximos anos.

Isso envolve a adaptação dos processos de produção, gestão e relacionamento entre empresas e consumidores, além do surgimento de inúmeras competências e especialidades novas.

Outro ponto é que, com a transformação digital, é preciso garantir a segurança das informações nos ambientes digitais. Porém, nem todas as empresas estão preparadas para as mudanças de uma só vez, pois para chegar lá o caminho ainda apresenta alguns desafios importantes.

Desafios da Indústria 4.0.

Um dos principais desafios para o sucesso dessa mudança está na segurança da informação e ações que inibam vulnerabilidades. São principalmente as que dizem respeito ao uso de Firewall, ferramentas de endpoint, políticas de restrição ao acesso à informação e startup de máquinas.

Tais elementos, quando associados, minimizam o risco de incidentes como intrusões, evasão de dados, ociosidade e falhas operacionais.

É importante, ainda, manter o apoio de TI disponível para garantir que os processos continuem eficientes e as ferramentas tecnológicas em constante funcionamento, já que esses são os principais agentes nessa transformação.

A perspectiva do Brasil nesse cenário

Mesmo diante de desafios tão importantes como esses, o Brasil é visto como um mercado promissor por organizações no exterior que desenvolvem soluções de tecnologia para a indústria 4.0.

Algumas pesquisas, como a da Accenture, fazem uma estimativa de que a utilização de IOT deve impactar o PIB do Brasil em cerca de US$ 39 bilhões até 2030. Esse ganho pode chegar a muito mais, caso o país consiga acelerar a implementação dessas tecnologias com a criação das condições adequadas.

O número pode chegar a US$ 210 bilhões, mas o ambiente de negócios precisa ser melhorado, principalmente com estratégias de inovação.

Existe um cenário negativo?

No entanto, o Brasil possui ainda um certo atraso e desequilíbrio no setor industrial diante das inovações tecnológicas.

Entre os setores que mais inovam estão a indústria automobilística e a de alimentos e bebidas, que atualmente já conseguem produzir em grande escala no contexto da indústria 4.0. Porém, para que as adaptações adequadas sejam efetivas, algumas condições precisam ser atendidas, como proporcionar um ambiente de negócios propício.

Além disso, devem ser prioridades o acesso aos meios de investimento e a geração de tecnologia inovadora, visto que algumas tecnologias ainda são muito caras para os pequenos empreendimentos.

Contudo, a indústria 4.0 não é uma realidade distante. Empresas inovadoras devem iniciar a transformação com antecedência, para prevenir possíveis impedimentos no seu processo de adaptação.

E a sua empresa, já começou a se adaptar? Assine nossa newsletter e saiba como agilizar esse processo!

Acompanhe também as nossas redes sociais: Facebook, Linkedin, Instagram, Youtube, Twitter.

Quer saber mais sobre o assunto? Escute também o Podcast Panorama Industrial da CBN Notícias sobre indústria 4.0:

 

4 revolução industrial

indústria sustentável