+55 (47) 3036.7700

contato@teclogica.com

Como está a operação da cadeia de suprimentos da sua indústria?

Teclógica > Blog > Serviços sob medida > Manufatura > Como está a operação da cadeia de suprimentos da sua indústria?
cadeia de suprimentos
24/09/2021

Cadeia de suprimentos, ou supply chain, é um termo utilizado para definir um conjunto de processos que envolvem o ciclo de produção de um determinado produto, incluindo diversas etapas como a fabricação, armazenamento e transporte.

Essa operação representa todas as atividades de aquisição de insumos, embalagens, armazenagem, gestão interna, venda e distribuição ao consumidor final, etapas básicas pelas quais um produto passa dentro e fora de uma organização.

Contudo, para que a cadeia de suprimentos funcione corretamente, é preciso investir em uma boa infraestrutura de máquinas, sistemas e profissionais qualificados. Além da integração da rede industrial, com objetivo de otimizar a comunicação entre fornecedores e parceiros.

Quer saber mais sobre as etapas da cadeia de suprimentos e seus impactos nesse cenário de transformação? Continue lendo. 

Quais são as etapas da cadeia de suprimentos?

Devido ao aumento do consumo e os diversos desafios na obtenção de matéria prima, o setor industrial exige novas abordagens inteligentes para realizar a gestão de riscos e possíveis interrupções nos processos de produção, armazenamento e transporte.

Isso porque é preciso dimensionar a produção e gerenciar alguns requisitos como o uso de matéria-prima e o planejamento, buscando mais flexibilidade nas formas de entregar produtos exclusivos ao consumidor final com agilidade e eficiência.

Na produção, é preciso conhecer a demanda do mercado e necessidades dos clientes, direcionando os produtos e materiais a serem produzidos e utilizados, além de considerar a terceirização de alguns serviços e a digitalização dos processos.

quando o assunto é armazenamento, é necessário ter um planejamento de estoque eficiente, considerando o local e tempo de permanência de cada item para equilibrar o excesso e a falta, para minimizar custos e não impactar o atendimento mesmo com alta demanda.

Por fim, na etapa do transporte dos produtos é preciso contar com uma boa equipe e uma boa gestão do tempo, além de ter prazos estabelecidos, planejamento interno e, também, utilizar a tecnologia na otimização de rotas.

Novas formas de pensar a cadeia de suprimentos

Na cadeia de suprimentos do cenário atual, é preciso reavaliar a operação para torná-la mais durável e diversificada, principalmente devido à pandemia e às pressões geopolíticas, aumentando a resiliência na capacidade de produção.

Este é um passo importante para repensar a cadeia de suprimentos no futuro, mas é preciso equilibrar os custos com a gestão eficiente dos riscos, adotando novas estratégias mais expansivas em relação à flexibilidade e ao potencial das tecnologias disponíveis.

Uma boa maneira de alcançar esses resultados é utilizar ferramentas para rastrear mercadorias e componentes em cada etapa, conectando-a ao gerenciamento de estoque e armazenamento.

Além disso, na questão do transporte é possível utilizar a inteligência artificial e aprendizado de máquina para identificar tendências por meio dos dados.

Tecnologia como aliada

Nesse contexto, a tecnologia é essencial para melhorar a gestão da cadeia de suprimentos, seja controlando todos os processos, identificando ou antecipando eventuais inconsistências, falhas e outros aspectos que ajudam a orientar o planejamento de acordo com a demanda.

Ou seja, esta é uma tarefa sistêmica que depende de uma comunicação eficaz, conectando todos os profissionais e recursos disponíveis para uma visão otimizada das atividades da empresa, principalmente na automatização dos processos.

A tecnologia auxilia na gestão, por meio de ferramentas que tornam o planejamento mais assertivo sobre os recursos e a criação de estratégias mais efetivas de controle, que:

  • Mapeiam todos os processos;
  • Trazem dados e estatísticas sobre o desempenho das atividades;
  • Melhoram o acesso e monitoramento de indicadores de desempenho.

Just in time

O just in time é uma técnica de gestão da produção e um tipo de metodologia lean utilizada para aumentar a eficiência produtiva, diminuir custos e desperdícios, ajudando no gerenciamento dos processos em toda a cadeia de suprimentos.

A metodologia parte do princípio da produção, transporte, venda e aquisição sob demanda, evitando estoque em excesso, criando, armazenando e controlando pedidos que suprem a demanda real da empresa.

Assim é possível padronizar os processos e integrá-los aos outros setores, produzindo mercadorias personalizadas. Também é possível:

  • Reduzir desperdícios: contribui para a produção mais enxuta, otimizando o uso de matérias-primas para atender os pedidos;
  • Otimizar a produção: como os produtos são priorizados sob demandas reais, é possível mapear e definir o processo com mais clareza e trazer mais qualidade;
  • Trazer mais eficiência: incentiva a criação de uma cultura organizacional, com melhoria contínua e um planejamento melhor;
  • Padronizar os processos: proporciona uma comunicação mais efetiva para que tudo ocorra sem mudanças constantes no escopo.

Nesse sentido, o just in time tem uma relação direta com a supply chain à medida em que otimiza recursos, refina o planejamento e traz mais eficiência à produção. Reduzindo, assim, desperdícios em toda a cadeia de suprimentos.

Impactos da transformação da cadeia de suprimentos

Como você deve ter percebido, a tecnologia está trazendo inúmeros impactos na cadeia de suprimentos, principalmente com o uso cada vez maior de plataformas que ajudam a conectar a gestão e os processos de uma forma inteligente.

Os processos de produção, armazenamento e transporte estão sendo transformados e otimizados.A expectativa é de que surjam no mercado novas ferramentas, que conectem a fábrica de ponta a ponta.

É possível ter um controle melhor sobre todas as etapas da cadeia de suprimentos, desde o estoque até a entrega ao consumidor final, estreitando a relação com os clientes e trazendo um acompanhamento mais preciso das etapas de entrega.

Além disso, cada vez mais, novas ferramentas específicas surgem para o setor, contribuindo para a gestão de risco, conectividade entre as áreas e simplificação das atividades. Substituindo diversas tarefas manuais e melhorando a tomada de decisões nos processos fabris.

Portanto, uma boa estratégia de cadeia de suprimentos pode levar a uma produção muito mais consciente, conectada e com custos reduzidos, que juntos trazem importantes diferenciais competitivos.

Gostou do conteúdo? Continue acompanhando o nosso blog para outros temas interessantes sobre a indústria e fique por dentro das transformações do setor.

lean manufacturing